Blog

Empreendedor endividado: saiba como empreender estando no vermelho!

Quer saber como evitá-la? Leia esse artigo

Muito embora nem todas as pessoas saibam, o fato de estar endividado, com o nome no SPC ou Serasa, não necessariamente impede que alguém possa abrir um negócio e ser um empreendedor. Certamente, não é tão fácil abrir um empreendimento se você for precisar de empréstimos para investir no capital inicial e/ou de giro.

Entretanto, ter o nome no vermelho em si não impedirá ninguém de empreender. Para que ocorra esse impedimento é necessário que uma pessoa esteja com o CPF irregular junto à Receita Federal.

Entender essa diferença é o primeiro passo para saber se é possível abrir uma empresa com o nome sujo. Nesse artigo é possível saber como abrir uma empresa no Brasil mesmo sob essa conjuntura. Por isso, caso você esteja tendo dificuldades e precise saber a solução para iniciar o seu negócio, não deixe de conferi-lo!

Quais fatores um empreendedor endividado deve levar em conta para abrir uma empresa?

Bom, o primeiro passo já é certo: é possível abrir um negócio mesmo com o nome no vermelho. Mas então, quais são os aspectos que uma pessoa não endividada não precisaria se preocupar?

Muitas respostas para essa pergunta estão atreladas a disponibilização de crédito e gestão financeira. Confira abaixo quais aspectos levar em conta antes e depois de criar a sua empresa.

Tipo de empresa escolhida

Esse fator tem impacto sobre a condução do empreendimento, pois, a depender do tipo de empresa que alguém escolher, isso pode afetar mais ou menos a relação com o endividamento do empreendedor. Para exemplificar, um Microempreendedor Individual (MEI) tende a sofrer mais limitações do que outros tipos de empresa ou sociedade ao considerar a divisão de patrimônios da pessoa física e jurídica, o que implica em dificuldades de concessão de crédito.

Redobrar a atenção na hora de dividir o que é da empresa e o que é da pessoa física

É um consenso geral: recomenda-se que, mesmo os detentores de empresa que não são endividados, separem as próprias contas do que é da empresa. Isto é, não fazer pagamentos e nem realizar compras com o dinheiro ou nome da empresa. Isso é importante para não cair na malha fina com as declarações de imposto de renda, para também não prejudicar a empresa e prejudicar-se ainda mais.

O que o empreendedor endividado deve fazer para diminuir os riscos de combinar as suas dívidas com as contas da empresa?

Como visto, existem algumas dificuldades enfrentadas de acordo com o tipo de empresa aberta. Isso ocorre, pois com a relação mais estrita de uma pessoa física com o tipo de entidade jurídica escolhida, subentende-se que a probabilidade de a empresa não conseguir pagar os empréstimos é maior. Entretanto, esta não precisa ser uma regra. E, para isso, existem algumas medidas que o empreendedor pode tomar para evitar isso. Veja abaixo:

  • Distinção de contas bancárias.

A primeira coisa que deve ser feita para evitar problemas é criar uma conta bancária jurídica. Isso impedirá que o empreendedor não misture os gastos próprios com os da empresa.

  • Buscar limpar o nome

Após iniciar o próprio negócio e, apesar de ter que lidar com a limitação de crédito, é fundamental que o empreendedor pague as próprias dívidas. Além de limitar o crescimento da empresa, existem muitos prejuízos como a detenção de bens, imóveis e até dinheiro do banco da pessoa física.

Agora você já sabe que é possível abrir uma empresa mesmo estando no vermelho. Essa também é uma ótima oportunidade para a pessoa física separar as finanças pessoais de seu novo empreendimento e buscar resolver as próprias dívidas.

Afinal, muito embora seja possível abrir um empreendimento com o nome sujo, as possibilidades com o nome limpo são muito maiores para expandir o seu negócio e manter uma gestão financeira saudável!

Gostou desse conteúdo? Compartilhe-o com quem pode precisar dessas informações para iniciar o próprio negócio!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Deixe um Comentário: