Taking too long? Close loading screen.
Carregando uma Experiência Contábil Diferenciada

Blog

Por que as empresas quebram? Entenda os motivos…

Empresas quebram o tempo inteiro, mas você pode evitar isso!

Mulher preocupada com empresa falindo

Abrir o próprio negócio, ter liberdade de horários e conquistar independência financeira é o sonho de muitos brasileiros.

Nesse cenário, a escassez de oportunidades de trabalho sob o regime CLT, somada à ascensão de políticas de apoio ao empreendedorismo, a exemplo do registro do MEI, têm contribuído para a crescente abertura de micro e pequenas empresas no Brasil.

No entanto, antes de abrir um negócio é preciso muito planejamento e cautela para que o sonho de empreender não se torne dor de cabeça e frustração.

Um levantamento do SEBRAE feito em 2013 aponta que 24,4% das novas empresas fecham em menos de dois anos. E entre os empreendimentos com menos de quatro anos de existência, esse percentual pode alcançar 50%.

Por essa razão, apresentaremos para você neste artigo, os principais motivos que provocam o fechamento das empresas. Confira a leitura e aprenda quais erros você não deve cometer em seu empreendimento.

Por que as empresas quebram?

Homem se perguntando

Nenhuma empresa nasce com o objetivo de fechar, não é mesmo? Com certeza esse também não é o seu pensamento. Porém, muitas empresas quebram por fatores como desorganização e falta de gestão estratégica.

Confira a seguir os principais motivos que levam as empresas ao fracasso:

Falta de planejamento

Se você já possui ou pretende iniciar um negócio, a palavra de ordem é: planejamento. Pois é! Planejar as ações de uma empresa é fundamental para que ela se mantenha ativa.

Por isso, o planejamento prévio e o plano de negócio são as estratégias vitais para que uma empresa não quebre.

A pesquisa Causa Mortis: o sucesso e o fracasso das empresas nos primeiros cinco anos de vida, realizada pelo SEBRAE, aborda a relevância que o planejamento prévio tem para a sobrevivência das empresas.

Das 2.800 empresas participantes da pesquisa, 46% não fez o levantamento das informações sobre o mercado e 55% não elaborou um plano de negócio.

O plano de negócio, como o próprio nome indica, consiste no planejamento que envolve todos os setores da empresa. Ele é tão importante quanto a documentação legal necessária para a abertura do negócio.

Trabalhar sem um plano de negócio é como tentar chegar a um endereço que você não sabe o caminho sem a ajuda de GPS. Ou seja, sem ele você e os colaboradores não vão ter um direcionamento das atividades.

Nesse sentido, o planejamento deve conter todas as ações e metas a curto, médio e longo prazo, traçando estratégias para alcançá-las.

Além disso, é preciso traçar projeções financeiras, conhecer o mercado de atuação e o público-alvo do negócio.

Vale lembrar que o planejamento deve incluir os objetivos das áreas de gestão, financeira, marketing e vendas, sempre visando envolver todos os setores da empresa.

Portanto, a falta de um planejamento bem estruturado é, sem dúvida, uma das principais causas que provocam a falência das empresas.

Metas inalcançáveis

Um planejamento bem estruturado deve conter metas a serem cumpridas por todos os envolvidos no empreendimento.

É fundamental saber que as metas devem ser atingíveis e adequadas à realidade da empresa.

Dessa forma, estabeleça metas coerentes, com prazos realistas e elabore estratégias para atingi-las, considerando todos os problemas e desafios que a empresa vai enfrentar ao longo do caminho.

Gestão financeira

A gestão financeira é um dos pilares para o sucesso de um negócio, pois ela envolve fatores desde a criação e planejamento de produtos e serviços até as relações no ambiente organizacional.

Nesse contexto, algumas atitudes são fundamentais como: separar as finanças da empresa das pessoais, contratar uma equipe para o setor financeiro e de RH e contar com a ajuda de uma contabilidade séria para realizar toda a parte burocrática com mais agilidade.

Planejar e investir no capital de giro também deve ser uma prioridade, a fim de evitar situações de desorganização financeira e dívidas.

Agir com impulsividade

Diversos problemas e desafios vão surgir ao longo da trajetória de qualquer negócio. Então, é preciso agir com muita cautela, a fim de enfrentá-los de modo estratégico e assertivo.

Busque sempre levantar hipóteses, possibilidades, variáveis e consequências, pois essas ações garantem a tomada de decisão certa. Lembre-se que o auxílio da equipe também é importante nesse processo.

Empréstimos sem planejamento quebram as empresas

empréstimo sem planejamento

É muito comum as empresas solicitarem empréstimos para expansão do negócio ou investimento em equipamentos. Entretanto, é preciso muito cuidado antes de recorrer aos bancos.

Portanto, realize um planejamento traçando ações sobre como o empréstimo será pago, além da análise dos juros e taxas.

É interessante também pensar em um plano de reestruturação e recuperação em situações de emergência.

Segundo informações do SEBRAE, para uma empresa conquistar sucesso e sobreviver no mercado, é crucial o planejamento, investimento em gestão empresarial e o comportamento empreendedor.

Dessa maneira, busque sempre inovar e aperfeiçoar seus produtos e serviços, além de se atualizar sobre as novas tecnologias e tendências do seu ramo de atuação.

O planejamento deve ser pautado em ações estratégicas, visando à tomada de decisões assertivas para alcançar os objetivos e metas do seu negócio.

Vale lembrar também que todo o planejamento pode e deve ser reavaliado e reajustado constantemente, na busca por melhorias e bons resultados.

Caso ainda possua dúvidas sobre este assunto, contate a C-Controll. Será um prazer ajudá-lo!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Deixe um Comentário: